Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Também de esquerda

Espaço destinado a reflexões (geralmente) inspiradas na actualidade e na Literatura.

Também de esquerda

Espaço destinado a reflexões (geralmente) inspiradas na actualidade e na Literatura.

A luta contra a pobreza

Futebol de rua
por
kathião, flickr.com

 

“A UE vai investir 17 milhões de euros na luta contra a pobreza, tanto quanto gastaram em Dezembro Sporting e Benfica em novas contratações.”
Manuel António Pina, Jornal de Notícias, 8 de Janeiro de 2010
É por estas e por outras que eu não sou sportinguista.
Nem benfiquista.
Nem europeísta.

 

Cuba e Bento XVI

Foi há pouco mais de um mês, a 10 de Dezembro, que Bento XVI recebeu em audiência o Embaixador de Cuba junto à Santa Sé – Eduardo Delgado Bermúdez – por ocasião da apresentação da Carta Credencial.
 
Transcrevo três passos do discurso que o Papa pronunciou na ocasião e que se pode ler, no original, no sítio web do Vaticano
(http://212.77.1.245/news_services/bulletin/news/24790.php?index=24790&lang=sp)
ou em
http://resistir.info/
 
Claro que os protocolos impõem, nestas ocasiões, um conjunto de fórmulas de cortesia estereotipadas que soam sempre a falso. Mas há aqui, nos parágrafos 2 e 3, algo mais do que convenção.
 
“Senhor Embaixador:
1. Com muito gosto recebo-o neste acto solene no qual apresenta as Cartas que o acreditam como Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República de Cuba perante a Santa Sé, iniciando assim a importante missão que o seu Governo lhe confiou. Agradeço-lhe as suas atentas palavras e a saudação que me transmitiu da parte do Excelentíssimo Senhor Raúl Castro Ruz, Presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, a que correspondo com os meus melhores desejos para a sua alta responsabilidade.

2. […] Cuba, que continua a oferecer a numerosos países sua colaboração em áreas vitais como a alfabetização e a saúde, favorece assim a cooperação e solidariedade internacionais, sem que estas estejam subordinadas a mais interesses que a própria ajuda às populações necessitadas.
 
3. Tal como outros muitos países, a sua Pátria sofre também as consequências da grave crise mundial que, somada aos devastadores efeitos dos desastres naturais e do embargo económico, golpeia de maneira especial às pessoas e famílias mais pobres. Nesta complexa situação geral, aprecia-se cada vez mais a urgente necessidade de uma economia que, edificada sobre sólidas bases éticas, ponha às pessoas e seus direitos, seu bem material e espiritual, no centro de seus interesses. Com efeito, o primeiro capital que se há de salvaguardar e salvar é o homem, a pessoa na sua integridade (cf. Caritas in veritate, 25).”
 
Só faltou ao Papa dizer que Fidel bem mereceu a nomeação como Herói Mundial da Solidariedade pela Assembleia Geral das Nações Unidas.